Momo aparece em vídeos do YouTube Kids e ensina as crianças a se suicidarem

Professora relata como descobriu que sua filha teve acesso ao boneco assustador enquanto assistia a alguns de seus vídeos favoritos no aplicativo

Momo é um jogo de ‘suicídio’ perturbador que se espalhou através de plataformas de mídia social como WhatsApp e Facebook.

O jogo doente Momo começa com um avatar – uma imagem assombrosa de uma mulher de olhos esbugalhados e cabelos compridos.

Ela envia as vítimas imagens violentas além de ameaçar o jogador que se recusar a seguir as ordens do jogo.

Uma menina de 12 anos e um menino de 16 anos teriam se matado depois de jogar o jogo Momo no WhatsApp na Colômbia no ano passado.

A imagem Momo em si era originalmente uma escultura criada por uma empresa japonesa de efeitos especiais chamada Link Factory e exibida em um museu fetichista de Tóquio em 2016.

Momo aparece em vídeos do YouTube Kids e ensina as crianças a se suicidarem 1

 

 Incentivos ao suicídio em vídeos infantis no YouTube

O que parecia ser só mais um vídeo de criança brincando com slime, de uma hora para outra, torna-se um verdadeiro filme de terror.

Isso porque as imagens fofas são interrompidas pelo assustador personagem Momo, com cenas terríveis que ensinam, passo a passo, como as crianças devem fazer para, literalmente, cortar os pulsos.

Esse mesmo vídeo, que burla os algoritmos de segurança até do próprio YouTube Kids, chegou ao conhecimento da  professora e produtora de conteúdo Juliana Tedeschi Hodar, 41, de Campinas (SP), por meio de um grupo de WhatsApp da família do marido, o administrador de empresas Juan Hodar, 45, que propôs uma conversa em casa para orientar a filha, Bianca, 8, sobre o conteúdo desses vídeos.

Mais tarde, quando o casal sentou para conversar com a filha, veio a surpresa: Bianca já havia assistido o vídeo cerca de três vezes e estava muito assustada e amedrontada com o que vira.

 Assim que começamos a conversa, ela teve uma crise de choro e não conseguia nem falar. Fomos acalmando-a e então ela contou que já tinha acontecido de ver a Momo. Disse também que estava com muito medo de dormir sozinha, de sonhar com a personagem ou de vê-la saindo de dentro do armário. Foram minutos bem complicados para nós, conta a mãe.

Para dar mais segurança à filha, Juliana dormiu junto dela, após explicar que todo aquele terror não passava de uma mentira, afinal, a Momo jamais apareceria de verdade para ela.

Pedimos que, se acontecesse novamente, era para ela pausar o vídeo e nos chamar. Como essas imagens aparecem de maneira aleatória, essa seria a forma de denunciarmos o vídeo, diz.

A mãe conta que Bianca sempre foi muito doce, apegada aos pais e carinhosa, por isso, eles não notaram que a necessidade de ficar perto dos pais escondia um motivo maior.

 

YouTube é seguro para crianças?

A maior surpresa do casal foi que eles já haviam colocado filtros nos vídeos, deixando-os no modo restrito, e as crianças só tinham acesso aos conteúdos do YouTube Kids.

Achamos que assim eles estariam mais seguros. Mas agora vamos redobrar ainda mais os cuidados e supervisionar ainda mais de perto o que assistem, afirma a professora.

As imagens e o discurso da Momo são tão chocantes que até mesmo a socialite Kim Kardashian se manifestou, no fim de fevereiro, sobre os vídeos nas redes sociais, cobrando um posicionamento do YouTube Kids.

Cuidado! Isso acabou de ser enviado para mim sobre o que tem sido inserido no YouTube Kids“, escreveu Kim.

 

Este nem de longe é uma caso isolado, daí o aviso de alerta aos pais.

Muitos vídeos de suicídio foram revelados depois que uma investigação do The Sun Online mostrou que crianças de até oito anos estão sendo alvo de predadores e bombardeadas com mensagens sexualmente explícitas em um novo aplicativo de mídia social.

O TikTok, que permite que usuários criem e compartilhem vídeos curtos com música e efeitos de câmera, foi considerado um “ímã para pedófilos” por ativistas e pais preocupados.

Enquanto isso, uma mãe falou depois que seu filho de sete anos disse a outras crianças que elas seriam “mortas em suas camas” enquanto jogavam o mortal desafio “Momo” .

O jogo do suicídio varreu a rede e acredita-se que tenha causado  a morte trágica de dois adolescentes na Colômbia.

Em 2017, os cartuns da Peppa Pig foram editados para mostrar cenas angustiantes – com Peppa tirando seus dentes, personagens fazendo sexo e outros sendo violentamente atacados.

 

Especialistas em segurança cibernética ficaram horrorizados.

Os especialistas em segurança cibernética da NSPCC ficaram horrorizados quando The Sun Online chamou a atenção dos vídeos e criticou o YouTube e o Google por fracassar nas segurança das crianças.

Um porta-voz da instituição de caridade disse:

O fato de esses vídeos ainda estarem lá e poderem ser assistidos mostra que o Google e o YouTube não estão fazendo o suficiente para proteger as crianças”.

Outros especialistas em segurança da NSPCC dizem ainda

Eles estão tirando do ar quando acabam sendo alertados – mas não deveria ser necessário que organizações como The Sun Online lhes digam para tirar esses vídeos.”

Ele acrescentou:

Ainda não sabemos qual o impacto que esses vídeos terão sobre as crianças – mas o que sabemos é que eles serão altamente angustiantes para qualquer criança pequena que os veja.

É maciçamente preocupante, essas coisas não devem estar disponíveis em sites como o YouTube.

O vídeo em questão foi removido do YouTube Kids – um canal que a plataforma comercializa como sendo um lugar seguro para jovens online.

 

Uma sinopse no site diz:

Criamos o YouTube Kids para tornar mais seguro e simples para as crianças explorarem o mundo através de vídeos on-line – de seus programas e músicas favoritos até aprender a construir um vulcão modelo (ou fazer slime) e muito mais. ( imagina se não fosse seguro)

 

O YouTube se manifestou com uma carta, em que conta a história da aparição do boneco.

Muitos de vocês compartilharam suas preocupações conosco nos últimos dias sobre o Desafio Momo – prestamos muita atenção nisso.

 Depois de muita análise, não vimos nenhuma evidência recente de vídeos promovendo o Desafio Momo no YouTube.

 Vídeos incentivando desafios prejudiciais e perigosos são claramente contra nossas políticas, incluindo o desafio Momo.

 Apesar dos relatos da imprensa sobre esse desafio, não tivemos links recentes sinalizados ou compartilhados conosco do YouTube que violem nossas Diretrizes da comunidade.

 É importante notar que permitimos que os criadores discutam, denunciem ou instruam as pessoas sobre o desafio / personagem Momo no YouTube.

 Vimos capturas de tela de vídeos e / ou miniaturas com eles […] Essa imagem não é permitida na aplicação YouTube Kids e disponibilizamos garantias para a excluir do conteúdo no YouTube Kids.

 

Vale lembrar que o próprio YouTube Kids foi lançado em 2016 justamente para atender a demanda dos pais e da sociedade a respeito da segurança do conteúdo destinado às crianças.

O aplicativo, porém, seleciona os vídeos através de um algoritmo que, aparentemente, pode ser burlado, resultando em produções impróprias.

Para tentar corrigir a situação, em abril do ano passado, o Google anunciou que contrataria milhares de funcionários para trabalharem como curadores da plataforma infantil.

 

Pediatras se manifestam com preocupação

O Dr. Free N. Hees, um pediatra nos EUA, denunciou o vídeo para o YouTube e conseguiu retirar o vídeo da plataforma.

Ele acredita que esses vídeos podem levar a um aumento no suicídio infantil.

O Dr., que também bloga sobre a segurança cibernética infantil sob o PediMom, disse:

A exposição a vídeos, fotos e outros conteúdos autoprovocados e suicidas é um grande problema que nossos filhos estão enfrentando hoje.

Precisamos lutar para responsabilizar os desenvolvedores de plataformas de mídia social quando eles não garantirem que as restrições de idade sejam seguidas“.

 

Como minimizar a exposição de crianças a estes tipos de conteúdos?

A Internet pode ser uma ferramenta incrível para ajudar as crianças a aprender e brincar.Mas com o mundo digital mudando o tempo todo, como você pode ter certeza de que seu filho está seguro? Configurar o controle dos pais é um primeiro passo.

01) O controle dos pais pode ser usado para bloquear conteúdo perturbador ou prejudicial, controlar compras no aplicativo ou gerenciar quanto tempo seu filho passa on-line

02) Os filtros podem ajudar a controlar a hora do dia em que seu filho pode ficar on-line e impedi-lo de fazer o download de aplicativos para os quais são jovens demais.

03) Fale com seus filhos.

04) Tenha conversas regulares sobre o que seu filho está fazendo online.

05) Explore sites e aplicativos juntos.

06) Fale sobre quais informações pessoais eles devem compartilhar on-line.

07) Crie um acordo familiar sobre qual comportamento é apropriado quando eles estão online.

08) Faça sua pesquisa.

09) Alterar as configurações de privacidade e desativar o compartilhamento de local.

 

Comentem e Compartilhem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.