Conheçam neste artigo 13 cantores gospel e seus pseudônimos interessantes.

13 cantores gospel que não usam o seu nome verdadeiro No meio artístico – seja ele da música, da pintura ou dos demais ramos existentes no âmbito da criatividade humana – é bastante comum o uso de nomes inventados, gerando apelidos, às vezes até excêntricos, que servirão como forma de identificar o artista durante toda sua carreira.


Na própria Bíblia Sagrada há exemplos de nomes dados a alguns personagens que, na realidade, não se tratavam de seus nomes verdadeiros. Casos como “Faraó” – nominação conferida a governantes egípcios – mas que, verdadeiramente, significa um título real e não o nome de nascimento do monarca; “César” referia-se a imperadores romanos e outro exemplo seria ainda “Abimeleque”, designação estabelecida para reis filisteus.

Simão foi um pescador que, mais tarde, receberia de Jesus o codinome “Pedro” e por aí vai!

Situando a história no tempo presente, temos no mundo gospel brasileiro, alguns cantores gospel que se valeram de apelidos para registrarem a caminhada artística que abraçaram.

Esses nomes fictícios, permitidos pela Lei dos Direitos Autorais, são definidos como “pseudônimos” e que, segundo a LDA, ocorre “quando o autor se oculta sob nome suposto”, conforme previsão do artigo 5º, inciso VIII, alínea “c”, tudo da Lei nº 9610/98.

Veja abaixo alguns dos cantores gospel que não usam o seu nome verdadeiro

01 ) Mattos Nascimento.

Mattos Nascimento apareceu como um cometa com a música “Quer vitória”, seu primeiro sucesso, mas se alguém dissesse que a voz que vinha do disco pertencesse a um certo Matusael, poucos ligariam o nome ao cantor.

 

02 ) Melissa.

Melissa possui uma voz coberta pela ternura e a balada-pop “Só o amor” fixou-se como uma das mais belas de seu repertório, porém, se o locutor da rádio anunciasse que Iracema Cabral lançara um CD novo, quantos dos ouvintes seriam despertados pela notícia?

 

03 ) J. Neto.

O potiguar José Clementino confundiu muita gente com sua voz de timbre assemelhado ao de Roberto Carlos, tanto é que regravou “Jesus, Salvador”. Logicamente que foi assim que J. Neto consagrou-se como um dos campeões de venda de discos.

 

04 ) Davi Sacer.

O fluminense Davi Amorim estourou nas vendagens com o hit “Restitui”. Sim, este é o nome artístico de Davi Sacer.

 

05 ) Cláudia e Francilano.

“Chuva de felicidade” e “Nascer de novo” foram músicas gravadas por Cláudia e Francilano, formadores da excelente dupla Rayssa & Ravel.

 

06) Jotta A.

O Rondoniano cantor-mirim José Antônio é nosso Jotta A, vencedor no programa Raul Gil.

 

07) Régis Danese.

Certamente que poucos daqueles que curtem a música gospel nacional saberão como é estrondoso o sucesso que fez o mineiro João Geraldo pelo Brasilzão de meu Deus, mas se junto aos créditos da clamante canção “Faz um milagre em mim” estiver o pseudônimo Régis Danese

Vejam mais alguns:

08) Chris Duran – Christian Calderin

09) Cristina Mel – Maria Cristina Mel de A. Costa

10) Fernandinho – Fernando Jerônimo

11) Mara Lima – Marilei de Souza Lima

12) PG – Pedro Geraldo

13) Rose Nascimento – Rosângela de Azevado Nascimento

 

Comentem e compartilhem

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *